Publicado em: seg, abr , 2017

Primeiros 100 dias de governo de Zilomar e os desafios já superados


Os primeiros três meses de gestão do prefeito Zilomar de Oliveira já mostrou um perfil do tipo de liderança que pauta o empresário do setor de confecções e um dos herdeiros políticos do deputado Nédio Leite (PSDB), da base do governador Marconi Perillo, ainda que os resultados não sirvam ainda como base para comemorar.

Os 100 dias de governo de Zilomar foi marcado por uma espécie de ‘bomba administrativa’ programada para explodir, artefato que não foi desativado na gestão do ex-prefeito Ival Danilo Avelar (PTB), que deixou dívidas acumuladas, como as contas da Previdência Municipal defasada, em torno de R$ 700 mil, três folhas de salários de servidores atrasados, Hospital Municipal sem medicamentos e problemas na administração que ainda estão passando por mudanças, como desvio de funcionários e distribuição de cargos, projeto constante na reforma administrativa e que já passou pela Câmara de Vereadores.

Nas obras de jardinagem, por exemplo, Zilomar Oliveira, por meio de um contrato com uma empresa especializada –, vem fazendo uma faxina na cidade, como poda de árvores, gramados e pintura de meio-fio, obras que aconteciam sem muita frequência e sem protocolo de prioridade.

Em meio aos emaranhados de problemas a serem resolvidos, o prefeito se depara a cada dia com os problemas sociais, onde os pedidos de empregos, sejam diretamente pelas pessoas ou por meio de secretários e vereadores – acontecem quase que diariamente. Inclusive, segundo informações de bastidores da administração, alguns secretários acabam quebrando o protocolo e buscando vagas no poder público para seus apadrinhados, prestígio quase exclusivo dos vereadores.

Isolar os grupos políticos de oposição de cargos de confiança vem gerando certo desconforto ao prefeito e para algumas famílias. Algo natural na alternância de poder, embora, Zilomar afirma repetidas vezes que em seu governo não há perseguição política.

Recursos

Quanto aos recursos, o novo prefeito já deu suas primeiras investidas em busca de verbas públicas para Jaraguá, tanto na esfera federal quanto estadual, junto à Marconi Perillo (PSDB).

Os programas do Governo de Goiás, por meio do Goiás na Frente — foi um dos que tiveram a participação do prefeito de Jaraguá, que deve receber cerca de R$ 3 milhões do governo. Há ainda promessas de emendas parlamentares, como a do Deputado Federal Célio Silveira (PSDB), e da Senadora Lúcia Vânia, parceiros nas promessas de campanha de Zilomar.

Por enquanto, nenhuma obra foi construída ou teve um projeto apresentando, se não, pinturas dos prédios públicos e reinauguração de prédios, que receberam as cores do PSDB, partido do prefeito.

Saúde

Na área da saúde, Zilomar Oliveira deu prosseguimento no projeto de transferência iniciado na gestão de Ival Avelar para a administração do Estado, por meio da OS (Organização Social). Ainda assim, o Hospital Sandino de Amorim já recebeu medicamentos básicos que antes estavam em falta, além da promessa de realização de cirurgias eletivas, mesmo havendo informações que tais cirurgias não estão sendo realizadas conforme o anunciado.

Na liderança de Fabiana Lopes, a secretária de saúde que na sexta-feira (07) deixou o cargo, alegando que passou em um concurso publico, houve mudanças consideráveis na pasta, como unidades ambulantes de atendimento médico e odontológico, sistematização de agendamento de consultas e exames de alto custo, além de projetos de médio e longo prazo que ainda serão colocados em prática até o fim da gestão de Zilomar.

Educação

Sendo também uma pasta considerada complexa, assim como a saúde, a Secretaria Municipal de Educação, na administração de Lilian Brandão, já começou a apresentar mudanças, ainda que elas aconteçam internamente, na escalação de profissionais e distribuições dos cargos.

O maior desafio já encontrado foi a questão do Piso Nacional dos Professores. Após vários anos de luta dos profissionais pelo pagamento do piso, o caso foi questionado na Justiça pelo Sintego, que tiveram uma resposta positiva, ainda que as negociações continuem, já que a Prefeitura, em acordo com o sindicato, decidiu pagar um índice de 9,5%, de um total de 19,5%, conforme projeto original aprovado pelo Governo Federal por meio do MEC. O Piso Nacional foi uma promessa de campanha do prefeito Zilomar como forma de valorização dos educadores.

Resta ainda, dentro da pasta, o processo de eleição para escolha dos novos diretores de escolas de forma democrática, onde os próprios profissionais e pais de alunos escolhem seus dirigentes escolares, sem indicação política, como acontece hoje.

Cargos públicos e obras

Em resumo, os 100 dias de governo de Zilomar praticamente representa um período de ‘arruma casa’, principalmente porque alguns diretores de órgãos, como chefia, superintendência e diretorias ainda estão sendo alocado, cada um dentro de suas competências, e sendo atendidos dentro da tese de Zilomar, que classificou que os critérios de escolha para os cargos de confiança, o companheirismo está em primeiro lugar, seguido pela capacidade.

Nos próximos seis meses, possivelmente Zilomar já poderá dar inicio às obras projetadas em seu plano de governo, já saindo do primeiro ano de gestão. Em 2018, devido a campanha política, é natural que os recursos anunciados neste ano realmente cheguem para Jaraguá, desta forma, alguma obras deverão sair do papel, incluindo construção de moradias, distribuição de recursos para reforma e ampliação de casas, pavimentação asfáltica nos bairros e outras obras de maior vulto.