Publicado em: qua, abr , 2014

Policiais desabafam após prender receptador de motos

receptação Genarc Goianésia
Welton Osório da Silva, o Gordinho, e Josiel de Sales Pereira, o Ziel, ambos de 21 anos, foram presos  na noite deste domingo, 20, por volta das 19h40, na Rua 40, Bairro Nossa Senhora da Penha, sob a acusação de receptação. A prisão dos acusados foi realizada pelos policiais civis Eurico Moreira e João Mateus.

Depois de denúncia anônima, os policiais foram na captura dos acusados; Josiel foi localizado na Avenida Contorno esquina com a Rua 19, Dona Fíica, conduzindo uma motocicleta.

Ao abordar o rapaz, os policiais perceberam que a motocicleta estava com a numeração da placa (8803) adulterada; na verdade a numeração seria 6903 e a motocicleta havia sido furtada no último dia 18 por volta das 20h00 em frente ao Centro Social da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.

Ao ser questionado sobre a placa, Ziel desconversou e disse que havia pego a moto emprestada com o autônomo Welton Osório, que reside a poucos metros do local da abordagem.

Acompanhado pelos policiais, Ziel foi até a casa de Welton que contou aos policiais que ele havia apenas alugado a moto pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais), inclusive ele contou que não chegou a pagar o valor integral. Sobre a alteração da placa, Welton também disse que não sabia.

Em buscas no local, os policiais localizaram porções de crack no interior da casa. Ambos foram levados para a Delegacia, onde os policiais descobriram que Welton Osório há menos de um mês foi autuado por ser acusado de prática de receptação de cinco motocicletas furtadas em Goianésia.

A reincidência precoce de Welton Osório, uma vez que foi solto depois de 10 dias preso, causou muita indignação aos policiais que o prendeu.

Policiais desabafam

“Há momentos que penso em desistir, pois chego a pensar que estamos praticando prisão esportiva. Nós, policiais, prendemos; a legislação frouxa determina que a Justiça solte. O cara confessou ser receptador de cinco motos e ficou apenas 10 dias preso.

A reincidência é grande por causa da sensação de impunidade, pois fica pouco tempo preso, tem direito a tudo o que a maioria dos cidadãos de bem pra conseguir tem que se humilhar: saúde, educação e alimentação de primeira com hora marcada para servir (às vezes chegam a ter até três refeições por dia), revê os amigos, conseguem ilegalmente telefones e drogas lá dentro e se for condenado ainda pode ter direito ao auxílio reclusão. Aí o criminoso não tem temor de ser preso, porque quando for  cumprir pena fica muito fofo. Às vezes nos sentimos enxugando gelo.

A lei frouxa em nosso país desanima até o povo a denunciar, pois veem os criminoso serem presos e logo logo estão soltos nas cometendo crimes com mais intensidade e violência.” desabafou o policial um dos policias civis, que mesmo de folga trabalhou na operação que culminou na prisão dos acusados.

Jornal o Correio Goiano

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail