Publicado em: ter, jun , 2014

PMDB decide pelo nome de Iris Rezende para candidato

Iris PMDB
Depois de cerca de duas horas de reunião uma decisão foi tomada e proferida pelo presidente do PMDB, Samuel Belchior. A definição que saiu do diretório foi o nome de Iris Rezende ao governo do Estado pela legenda – a resposta mais cogitada após a saída de Júnior Friboi, há quase duas semanas. O presidente sustenta que a decisão foi unânime, mesmo com a grande quantidade de deputados e prefeitos que relutaram desde o início das negociações em apoiar o nome de Iris, estando ao lado de Friboi. “O Iris é a bola da vez”, reiterou o presidente.

Poucas pessoas na recepção esperavam o fim da conversa entre integrantes da executiva do PMDB que começou às 14h no diretório estadual da sigla. Leandro Vilela chegou por volta das 14h40. Grupinhos se formavam de tempos em tempos, cabeças juntas, cochichos, todos tentando deduzir o que acontecia lá em cima, onde Samuel Belchior se reunia, além de Leandro Vilela, com Pedro chaves, Bruno Peixoto, Paulo Cezar, Daniel Vilela, Wagner Siqueira, Luis Carlos do Carmo, Nélio Fortunato e Wagner Guimarães. Dona Iris e Sandro Mabel não compareceram. Além desses, Adib Elias, José Nelto e o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela,

O deputado federal Pedro Chaves saiu alguns minutos antes do fim da reunião, e disse ao Jornal Opção Online que a conversa foi em torno de Iris Rezende, e que o partido iria conversar com o líder a fim de que ele seja o candidato da oposição. O parlamentar era um dos apoiadores de Júnior Friboi; afirmava que Júnior possuía o apoio unânime da executiva, e estava constantemente no escritório do empresário.

O presidente Samuel Belchior, questionado se os políticos que antes apoiaram Friboi de forma tão intensa mudaram de opinião e resolveram de fato apoiar Iris após a saída de  Friboi, afirmou que “ninguém quer arriscar tanto”. Em entrevista ao Jornal Opção Online ele mostrou que a decisão foi entre todos os integrantes da Executiva. De acordo com ele, ficou confirmado durante a reunião que Júnior não retornará. “Ate então não tinha uma definição, que ocorreu agora, e todo mundo chegou ao nome do Iris”, afirmou. Segundo o parlamentar, agora irá conversar com o líder peemedebista para ver sua resposta para, por fim, seguir com as movimentações do PMDB, como decisões de alianças.

Samuel Belchior, ao ser questionado se os apoiadores mudaram de fato de opinião, reiterou que a decisão foi unânime. Entretanto, afirmou: “Os deputados ou prefeitos não vão ser procurados individualmente. Vou levar para ele [Iris] o que foi discutido na reunião e vou trazer a decisão para os companheiros do PMDB.” A reunião para divulgar o que foi resolvido nesta segunda-feira (2/6) será somente entre Samuel e Iris, que segundo presidente, no momento está viajando. “Vou ligar para ele e pedir para que ele volte o mais rápido possível.”

Perguntado se durante a reunião chegou a ser discutido outro nome caso Iris dê uma resposta negativa ao partido (mesmo sendo uma hipótese difícil, já que o político sempre reiterou que seria candidato se o partido visse que não havia mais ninguém e pedisse para ele), Belchior afirmou que ainda não foi o momento. “O Maguito (Vilela] mesmo disse que é em vão discutir outro nome no momento. Temos que ver a resposta do Iris.”

Jornal Opção