Publicado em: sex, maio , 2014

Goiás já tem 1000 novos policiais nas ruas

PM Goiás
Em um momento em que a população goiana tem acompanhado o resultado de levantamentos que apontam a redução do índice de criminalidade, o governo do Estado inicia o quinto mês do ano completando a incorporação de 3.300 homens e mulheres às forças policiais.

Em solenidade na Praça Cívica, na manhã desta terça-feira, o governador Marconi Perillo e o secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita, receberam 1.100 policiais militares que começam, a partir de hoje, o estágio operacional nas ruas da Capital e da Região Metropolitana de Goiânia. Eles também entregaram milhares de equipamentos à corporação, resultado de novos investimentos nas condições de trabalho da categoria.

Esses novos agentes passaram por curso de formação com duração de 560 horas/aula. Depois do estágio, que será supervisionado por praças mais experientes, serão remanejados para atuarem em Goiânia e em vários municípios do Estado. O governador e o secretário entregaram, à corporação, mil capacetes anti-tumulto, 13 mil cintos de guarnição, três mil coletes refletivos e 2.500 pistolas ponto 40.

O governador falou sobre o grande contentamento em se dirigir a homens e mulheres que merecem a admiração do governo por terem enfrentado um certame pelo qual concorreram 30 mil pessoas, e em que 1.100 soldados saíram formados. “Não foi tarefa fácil, alcançada senão pelo mérito, pelo estudo e a dedicação constante”, observou.  Os 1.100 policiais somam-se a aos 1.300 do Serviço de Interesse Militar Voluntário Estadual (Simve) e aos 860 delegados, agentes e escrivães. Todos foram inseridos nas forças da Segurança Pública este ano.

O governador adiantou que em breve ocorrerá o terceiro chamamento do Simve, e mais 500 policiais serão incorporados. “Com isso, chegaremos a 3,8 mil policiais em cinco meses. Mas, se formos contar também os 600 que foram incorporados ao Corpo de Bombeiros Militar, teremos 4,4 mil policiais”, somou. Até o final de 2014, o governo do Estado terá entregado à população goiana mais de seis mil policiais atuando diariamente. “É um trabalho que começou em nossos governos anteriores, quando, definitivamente, resgatamos a autoestima e a dignidade dos nossos policiais. Tenho a cabeça erguida como comandante em chefe das nossas polícias porque não exerci apenas e tão somente o papel formal de governar o Estado, mas procurei, na prática, dignificar e honrar esse auto posto”, declarou.

Ele lembrou que nesta gestão, somente na Polícia Militar, serão cerca de 10 mil promoções, além do reconhecimento aos homens e mulheres que dedicaram suas vidas em favor do Estado e das vítimas do Césio 137, que já tiveram reconhecimento da sua luta por parte do governo do Estado. Lembrou também da recente aprovação do Projeto de Lei que escalona a carreira dos policiais militares e bombeiros, garantindo aumentos expressivos nos próximos quatro anos. “Isso significa, na prática, resgatar compromissos, valorizar e dignificar as corporações”, afirmou.

 Voltou a criticar a fragilidade da legislação penal e a cobrar participação efetiva do governo federal em investimentos na área da Segurança Pública, já que os recursos nesse setor são de responsabilidade exclusiva dos governos estaduais. “Defendo, por exemplo, que o sistema de execução penal seja federalizado”, disse. “Deem tudo de si em retribuição ao que o Estado tem feito por vocês, e para atenderem o que a população espera de vocês”,  encerrou, dirigindo-se aos novos policiais.

Portal 247

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail