Publicado em: seg, jun , 2014

Fátima diz que não há ciúme na relação com Bonner

fatima-bernardes-27782
Às vésperas de completar dois anos no comando do “Encontro”, Fátima Bernardes vive um ótimo momento. A consolidação do programa em audiência trouxe tranquilidade para a jornalista.

Além disso, a saída da bancada do “Jornal Nacional” também foi positiva, em sua visão. Especialmente pelo lado pessoal, no que se fere ao marido William Bonner.

“Foi bom. A gente varia os assuntos, os amigos, misturamos os que eu fiz no ‘Encontro’ com os de lá. Quando ele chega em casa, pergunto porque abriu o jornal com tal matéria. Ele me assiste menos, porque meu programa é na hora da reunião de pauta dele”, disse em entrevista ao jornal “O Globo”.

A distância física não aumentou o ciúme entre o casal.

“Faço 25 anos de casada em fevereiro do ano que vem. E nunca teve espaço para ciúme na nossa relação. Ele veio de uma relação com uma namorada muito ciumenta e eu também. A gente ficou meio vacinado. Parto do princípio que as pessoas só estão juntas porque querem. Você pode ter todo ciúme do mundo, pode se matar, se descabelar que se o parceiro não quiser, ele não vai ficar com você. É um sofrimento a menos”, filosofou.

E ciúme também não existe na hora de entregar o programa nas mãos de Ana Furtado e Dan Stulbach.

“Passei um ano e pouco sem poder ficar gripada, se acontecesse alguma coisa comigo, não tinha substituta, ninguém nunca tinha pensado nisso. Para tirar as primeiras férias, eu gravei os programas e foi um trabalho insano. Hoje a gente tem uma dupla, que se junta ao Lair Rennó e ao Marcos Veras, e me desgarro, não tenho apego”, garantiu.

O primeiro lugar da audiência finalmente foi conquistado (marca em média sete pontos em São Paulo e nove no Rio) e ela está cada vez mais à vontade no palco e na relação com a plateia.

“Não fiquei preocupada e tive muita tranquilidade aqui (na emissora). A gente queria assumir a liderança na programação adulta e o nosso único problema, no início, foi realmente com desenho animado. Porque houve uma troca de público. Hoje, não. Há muito tempo o desenho não é problema”, afirmou.

Fátima explica a mudança em seu comportamento em relação ao “Jornal Nacional”.

“Existia um comportamento compatível com o produto que eu estava fazendo. Não dava para sair da bancada do ‘JN’ e aparecer sambando ou pendurada numa corda fazendo entrevista no dia seguinte. Só valeria quando fosse natural para mim e o público só aceitaria quando percebesse que estava natural”, declarou.

Por Famosidades