Publicado em: qua, maio , 2014

Dilma Bolada negociou passe com tucanos

Dilma Balada
Por ao menos duas semanas, Jeferson Monteiro, o dono do perfil Dilma Bolada nas redes sociais, negociou trabalhar para pessoas próximas à campanha dos tucanos. Hoje, o personagem de Jeferson é a sátira mais famosa da presidente petista na internet.

As negociações foram iniciadas por meio de uma agência especializada em gerenciar perfis famosos na rede e fechar parcerias entre eles e grandes empresas. Segundo relatos do próprio Jeferson, este ano a agência está oferecendo seus serviços a partidos políticos.

Na tarde desta segunda-feira (19), a Folha recebeu cópia de uma troca de e-mails entre Jeferson Monteiro e o especialista em redes sociais que presta serviços para o PSDB –mas não é formalmente vinculado à campanha, Pedro Guadalupe. Na conversa, Monteiro confirma interesse em negociar com os tucanos e diz que sempre deixou claro para o PT que, se achasse necessário, fecharia parcerias com quer que fosse.

Guadalupe, que trabalhou para o PT em 2012, leva as conversas adiante e diz que Monteiro pode se tornar “inimigo” dos petistas e que é preciso “pesar bem” a operação. De acordo com esses e-mails, Jeferson diz que “não tem como haver problema. De fato, há tempos já tenho todos os cenários possíveis estruturados para qualquer decisão que fosse tomada”. “Quanto a forma de como será feita, prefiro mesmo expor detalhadamente como tudo ocorrerá somente após estiver tudo certo”, conclui.

Guadalupe diz ter chegado à conclusão de que o negócio não valia a pena. A partir daí, decidiu enviar a troca de e-mails com Monteiro a uma série de pessoas, inclusive profissionais que, assim como ele prestaram serviços nas redes sociais para o PT em eleições anteriores.

Cerca de um dia depois de ele ter repassado a mensagem a agentes do mercado de redes sociais e seis horas após a troca de e-mails ter chegado à Folha, Jeferson Monteiro publicou em seu Facebook a sua versão da história. Ele confirma ter negociado com os tucanos, mas insinua ter dado continuidade às negociações apenas para ver até onde iam levar.

“Ao fim da conversa, ele [o representante da agência] perguntou se eu toparia fazer parte dos ‘talentos’ dele para que fosse feita a negociação com a turma do PSDB. Para a surpresa dele, eu aceitei. Por sua reação ele provavelmente deu pulos de alegria. Ele não estava acreditando que já tinha o maior trunfo nas mãos: eu, com a Dilma Bolada, para o ninho tucano”, narrou Jeferson em sua página.

Monteiro confirma ainda que trocou e-mails com Guadalupe. “Fui em frente, levando a coisa só pra saber até onde ia a cara de pau. Informei que só assinaria após que estivesse tudo acertado e depois que falassem de como seria de fato o tal esquema”, disse no Facebook.

“Diante disso, na semana passada, a agência combinou com Pedro Guadalupe uma reunião com os dirigentes responsáveis pelo veredicto final… Pra mim foi o bastante. Eu, como vocês podem ver, não esperei o tal veredicto. Resolvi expor tudo isso aqui porque eu há mais de 1 ano venho sido constantemente atacado por pessoas dessa corja”, escreveu Jeferson. “Vocês deveriam ter sido um pouquinho mais espertos e terem tido o feeling para saber que eu não sou e nunca vou ser como vocês”, conclui, numa referência aos tucanos.

Guadalupe rebate. Para ele, Monteiro só decidiu “criar uma versão” pública para a negociação quando soube que seus e-mails tinham sido vazados a pessoas ligadas ao PT. “Eu aviso até a concorrência”, escreveu em seu Twitter.

Folha de S. Paulo