Publicado em: ter, abr , 2014

Definição de Marconi como candidato só sai em junho

Marconi

Decisão tomada em dezembro, quando se reuniu com os 14 partidos da base aliada, no Tatersal da SGPA, em Goiânia, o governador Marconi Perillo (PSDB) definiu que somente em junho, no período das convenções, anunciará a sua decisão de concorrer à reeleição para novo mandato ao Palácio das Esmeraldas. A cada dia que passa, fica remota a possibilidade de o governador não concorrer ao pleito de outubro, segundo os dirigentes partidários da base aliada.

“Não é hora de tratarmos de eleições. Quem está no governo tem as responsabilidades administrativas. Por isso, estamos focando a agenda de inauguração de obras, em visitas aos prefeitos em todo o Estado. Há obras do meu governo nos 246 municípios, pois atendo aos pedidos dos prefeitos da base aliada e da oposição”, ressalta Marconi Perillo.

O governador adianta à reportagem do DM que a única decisão sem a menor possibilidade de mudança que tem é a de concluir o mandato no governo, sendo ou não candidato. “Não há outro cenário definido, além deste.” Marconi sustenta ter muito o que realizar e entregar este ano, em termos de obras. “Chegará o momento certo de pensar, discutir e definir o meu projeto eleitoral. Não há porque antecipar uma decisão.”

Desde janeiro, quando iniciou o périplo pelo interior do Estado, para a inauguração de obras, o governador pretende visitar 114 municípios até o final de maio. “É grande o volume de obras que o governo Marconi tem para inaugurar até o final do mandato. Por isso, o governador Marconi visita até cinco cidades por dia e o vice-governador José Eliton cumpre agenda paralela, atendendo aos prefeitos da base e da oposição, ressalta o secretário Joaquim de Castro (Articulação Institucional).

Um dos pontos altos da movimentação de Marconi Perillo pelo interior do Estado é a inauguração de pavimentação asfáltica das GOs, todas elas novas ou reconstruídas. “Já entregamos dois mil quilômetros de rodovias restauradas. Estamos em fase de conclusão de mais dois mil quilômetros de estradas. Até 31 de dezembro, serão mais dois mil, totalizando seis mil quilômetros de rodovias novas e reconstruídas em Goiás”, adianta Jayme Rincón, presidente da Agência Goiana de Obras Públicas (Agetop).

Prefeitos de cidades administradas por políticos de oposição, como Maguito Vilela (Aparecida de Goiânia), Selma Bastos (Goiás), Humberto Machado (Jataí), Agenor Rezende (Mineiros) e Maria Inês (Ceres) fazem questão de externar, publicamente, o reconhecimento pelo “espírito republicano” do governador Marconi Perillo na relação com os municípios goianos, independente de diferenças partidárias. “Só tenho elogios ao governador pelas parcerias que o Estado realiza com a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Hora nenhuma o fato de pertencermos a partidos diferentes prejudicou o meu relacionamento administrativo com o governador Marconi Perillo”, atesta Maguito Vilela.

CONVERSAÇÕES

Em junho, às vésperas das convenções, Marconi Perillo vai conversar com os dirigentes dos 14 partidos da base aliada, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores, presidentes de diretórios municipais dos partidos, em busca da composição para a chapa majoritária (governador, vice-governador e senador). A tendência da base aliada é a de confirmar as candidaturas de Marconi Perillo a governador, José Eliton Júnior (PP) a vice-governador e Vilmar Rocha (PSD) a senador.

O governador tucano deverá estabelecer, com a participação do conselho político e de marqueteiros, a estratégia para a campanha eleitoral, mostrando que, embora esteja concluindo o seu terceiro mandato à frente do Executivo estadual, o PSDB e aliados têm propostas inovadoras para mais quatro anos de governo em Goiás.

Uma das estratégias do governo tucano é a de mostrar que, ao contrário da oposição que, na sua opinião, não apresentaram até agora “projeto consistente” de gestão pública, o grupo que está no poder em Goiás tem números significativos para mostrar à população em relação aos avanços que ocorreram em áreas como infraestrutura, educação, saúde, cultura, esportes, meio ambiente e inclusão social.

O presidente estadual do PSDB, Paulo de Jesus, diz que o governador Marconi Perillo age corretamente ao deixar para junho as definições sobre a chapa majoritária, incluindo seu projeto de concorrer à reeleição. “Quem tem a tarefa de governar, não pode atropelar o calendário eleitoral. Marconi prioriza a inauguração das obras que prometeu na campanha de 2010. Na hora certa, no período das convenções partidárias, o governador vai se reunir com os partidos aliados e definir, após ouvir a todos, as candidaturas que serão colocadas na disputa às eleições deste ano em Goiás.”

Entre os 14 presidentes dos partidos aliados – PSDB, PP, PSD, PTB, PPS, PSL, PEN, PTdoB, PR, PRP, PTC, PV, PMN e PHS – há unanimidade: o nome de Marconi Perillo é a opção para a disputa ao Palácio das Esmeraldas. “Não há Plano B na base aliada. O nome de consenso é o de Marconi Perillo”, deixam claro, por exemplo, Vilmar Rocha (PSD) e José Eliton (PP).

Marconi Perillo já venceu três eleições para o Palácio das Esmeraldas, todas elas derrotando candidatos do PMDB. Em 1998 e 2010, Marconi venceu o ex-governador Iris Rezende. Em 2002, derrotou o ex-governador Maguito Vilela. Em 2006, de lambuja, Marconi ajudou a eleger Alcides Rodrigues (PP), que havia sido, por duas vezes, seu vice-governador. Alcides derrotou Maguito Vilela.

Diário da Manhã

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail