Publicado em: ter, maio , 2014

Augusto Rios será homenageado no Circuito Cultural

CULTURAL
Em substituição ao Mês Cultural, que em 2013, homenageou Ostrecrino Lacerda e ganhou repercussão positiva em todo o Estado. Este ano, a Secretaria Municipal de Cultura, mudou o nome e antecipou para maio o evento. “Fizemos essas alterações, por dois motivos, o primeiro é por ser um ano eleitoral, e o segundo porque em Outubro é o início do período chuvoso e algumas atividades foram prejudicadas. Este ano, o evento terá o nome de Circuito Cultural e iremos homenagear Augusto Rios” diz o Secretário Paulo Vitor Avelar.

O Circuito Cultural terá atividades como apresentações; de Dança, Poesia, Literatura, Teatro e Exposição de Artes. O evento irá se concentrar na Praça do Coreto e nas escolas e colégios do município. A programação terá início nos dias 09 e 10, com apresentações musicais. Já nos dias 16 e 17 haverá apresentações teatrais e dança. Nos dias 19 a 25 acontecerá a Semana da Literatura, nas escolas da rede pública e particulares. Entre os dias 23 a 25 também ocorrerá o Encontro de Bandas e Orquestras.

Augusto RiosQuem foi Augusto Rios – Nasceu no dia 9 de agosto de 1876, na capital de Goiás, filho de André Ferreira Rios e de Luíza Venância de Almeida Rios e faleceu em Goiânia, no dia 31 de outubro de 1959. Com a idade de 7 anos, iniciou seus primeiros estudos em sua terra natal, sendo aluno de Mestra Nhola (Pacífica Josefina de Castro). Em seguida matriculou-se no Liceu de Goiás, dedicando-se com muito interesse aos estudos de português, francês, latim e inglês.

Seguiu para a capital de São Paulo para prosseguir seus estudos, mas a saúde fez com que ele abandonasse a escola e retornasse a Goiás. Com 15 anos, levou ao senador Gonzaga Jayme dois sonetos que foram publicados em A Imprensa, jornal editado na velha Capital do Estado. Em 1903, ingressou na Academia de Direito de Goiás, formando, em 1906, juntamente com os poetas Gastão de Deus Victor Rodrigues e Luiz do Couto. Logo em seguida, em 1907, na cidade de Jaraguá, casa-se com sua prima Rosalina Rios.

Neste mesmo ano, vaga a cadeira de francês no Liceu Goiano. Augusto Rios candidata-se e conseguiu a primeira colocação, mas foi preterido e nomeado um professor suíço. Tornou-se vaga a cadeira de latim e por insistência do goiano João Alves de Castro, o poeta conquistou com o mesmo brilhantismo do concurso anterior e foi nomeado.

Professor de Latim, Inglês, Português e Francês no Liceu de Goiás, também Promotor Público da antiga capital do Estado. Foi Juiz de Direito em Jaraguá, mais tarde, Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás e poeta a vida inteira, sendo famosos suas decisões, despachos e sentenças em versos. Publicou o livro de Poesias Bouquet, 1911; Triságios, 1922; Hosanas, 1928; O Livro, 1941 e, em 1957,Ramalhete, que tem como prefaciador o acadêmico paulista Antônio Nobre.

Ascom / Prefeitura de Jaraguá