Publicado em: seg, maio , 2014

Após corte de patrocínio, Rádio questiona gastos da Câmara

Rádio Cidade de Jaraguá
Legislativo – Tão logo a presidente da Câmara de Vereadores de Jaraguá tomou conhecimento da notificação do MP, onde o Ministério Público Eleitoral pedia o cancelamento dos contratos de transmissão das sessões plenárias, devido ao período eleitoral, a Rádio Cidade AM foi a primeira a questionar os gastos do Poder Legislativo.

Os questionamentos vão ao ar quase que diariamente, no programa Jornal Cidade em Debate, onde os gastos da Câmara são especulados no jornalismo.

Para alguns, o corte no patrocínio da Câmara com a rádio foi o estopim para que emissora discutisse os gastos do Legislativo, porém, há os que defendem que a presidente Maria Maura apenas cumpriu com a determinação do MP, e que a mesma vem sendo alvo do jornalismo da emissora.

Em um dos programas, o apresentador chegou a dizer que “a rádio precisa sim, de patrocínio, mas nem por isso iria deixar de relatar os gastos do Legislativo”.

Embora parte da população dê total credibilidade para o jornalismo da Rádio Cidade, outros acreditam que as coisas acontecem de forma política, ou seja, que há interesses difusos por trás do jornalismo, quando o objeto da reportagem é a Câmara de Vereadores, pois a emissora, em outros tempos — nunca questionou de forma tão rotineira os gastos do Poder Legislativo quanto vem sendo feito nesse momento.

A produção do JN procurou o diretor da emissora, Dionei Souza para falar sobre a pauta de jornalismo envolvendo a Câmara, porém, o mesmo disse que não iria se pronunciar sobre o assunto, já que poderia ser mal interpretado, ou que fosse levado para lado pessoal, dando conotação de rivalidade entre a direção da rádio contra a Câmara, o que não é realidade, concluiu.

A Rádio Sucesso FM também terá o patrocínio cortado, com base na mesma recomendação do MP.

Procurada para falar sobre as diversas citações da rádio, a presidente da Câmara, Maria Maura (PTB), disse que não há nada irregular em sua gestão no Poder Legislativo, afirmando ainda que apenas cumpriu um pedido do MP no corte do patrocínio publicitário, devido ao período eleitoral, ponderou a vereadora.

O caso da jornalista do SBT

Um fato que repercutiu em todo país nos últimos dias foi a polêmica declaração da jornalista Rachel Sheherazade, âncora do “SBT Brasil”, onde a jornalista teve que deixar a emissora depois que o SBT tomou conhecimento de que poderia ter o patrocínio do Governo Federal cancelado, caso desse liberdade para que a jornalista Rachel fizesse comentários supostamente fazendo apologia ao crime, quando a mesma defendeu a ação dos justiceiros. O patrocínio do Governo Federal para o SBT gira em torno de R$ 165 mi; uma quantia que calou a voz da jornalista.